quinta-feira, 7 de março de 2013

Eduardo Marinho: o autoconhecimento como ferramenta ideal para conhecer o mundo



 
Eduardo Marinho: o autoconhecimento como
ferramenta ideal para conhecer o mundo

Em Eduardo Marinho, duas características marcantes: a irreverência de um Dom Quixote e o despojamento de um novo São Francisco de Assis que, igual àquele do século XIII, filho de família abastada, decidiu desligar-se dos bens materiais e experimentar o “não ter”; foi assim que, contrariando a própria família, saiu de casa, sem nada, em busca de um real sentido para sua vida.
Ao conviver com os deserdados da sorte e com eles dividir o mesmo abandono e carências, Eduardo Marinho aprendeu com os marginalizados que a dúvida, além de um direito, é uma obrigação; entendeu que aquilo que não pode ser explicado ou não tem classificação somente pode ser percebido e assimilado através da intuição.
Suas opiniões sobre política, sociedade, mídia, religião, economia e cotidiano são colocadas com clareza cristalina e objetividade cortante feito navalha: sem meias palavras ou tentativa de iludir, ou seja, direto na ferida.
As reflexões de Eduardo Marinho, que nasceu em uma tradicional família de classe média e foi educado para ter uma vida convencional, fizeram-no questionar por que nossa sociedade é tão injusta, excludente e hipócrita. Daí, vieram os conflitos, o constrangimento diante da gritante diferença de classes e a sensação de não mais pertencer àquela realidade. O resultado dessa reflexão foi a necessidade de pôr o pé na estrada e fazer o seu caminho de volta, rumo a si mesmo.
E foi assim, através de encontros e desencontros, que Eduardo Marinho convida ao seu eventual interlocutor ao debate sobre questões muito importantes para todos nós, independentemente de classe social ou de posicionamento político-ideológico, pois sua vida é repleta de ensinamentos que, gentilmente, ele concorda em repartir com seus irmãos como quem serve um banquete repleto das mais finas iguarias.
Este é Eduardo Marinho – um questionador! Talvez ele nos apresente apenas perguntas que ferem, que machucam e incomodam, já que as respostas repousam, adormecidas, dentro de cada um de nós.

Colaboração/Texto: Marcelo Henrique (MHP)



Eduardo Marinho estará participando do Encontro Cósmico.
Saiba mais em:
www.encontrocosmico.com.br


No próximo dia 20 de abril, sábado, às 14h, estará acontecendo o 3º Encontro Cósmico, que será realizado no Centro de Convenções de Serra Negra, Rua Nossa Senhora do Rosário s/nº (saída para Lindóia).
Segundo o organizador, o principal objetivo do evento, que contará com a presença de palestrantes de renome nacional, é possibilitar aos presentes o acesso a novas informações no campo da Cosmologia, bem como um mergulho rumo ao autoconhecimento.




.

domingo, 3 de março de 2013

Mágoas, Ressentimentos e Críticas não podem fazer parte de um caminho próspero

"DICA"


 

Mágoas, Ressentimentos e Críticas não podem fazer parte de um caminho próspero.

Se você cobra algo dos teus pais ou vive se queixando do seu passado com eles, é momento de pensar: se este fosse o último dia de suas vidas, e você, sabendo disso, como você escreveria uma carta para eles?
Você escreveria uma carta com reclamações, com mágoas, com dizeres de que o passado poderia ter sido melhor ou algo semelhante?
Pense!
Tenho certeza que você diria o que realmente sente dentro de si. Com toda certeza você escreveria e ou diria coisas que seriam do mais puro coração.
A vida é assim!... devemos viver e tratar as pessoas, principalmente os pais, como se hoje fosse o último dia de nossas vidas.
Parar de lamentar o passado e saber compreender os pais é um passo imenso para a prosperidade.
'Se seu filho nem nasceu, você ainda é um filho'. 
Saiba que temos a facilidade de, muitas vezes, julgar nossos pais. Cobramos muito deles e achamos que eles nunca poderiam ou podem errar.
Você já pensou em olhar as coisas boas? Os momentos únicos de alegria, mesmo que sejam lembrados apenas por uma fotografia?... Pense!
E então, já sabe o que vai escrever ou dizer a eles?
Faça seu caminho se tornar mais iluminado.Ter gratidão aos pais é como subir o primeiro degrau da felicidade!
É o momento de agir. Não há outro momento melhor que o agora.
Eu amo meus pais e sei que eles fizeram o melhor para mim diante do conhecimento que tinham.
Paz e Harmonia,
Fabio Ibrahim El Khoury


Dica: www.encontrocosmico.com.br (20/abril/2013 - Serra Negra-SP)


.